• Yokota Odontologia

Curiosidades sobre a boca


Todos nós já ouvimos falar em saúde bucal, certo? Entretanto, o conceito de saúde bucal é bem amplo e acaba dando margem ao surgimento de vários mitos sobre o assunto. Por esse motivo, resolvemos compartilhar com você algumas curiosidades sobre esse tema que é muito importante em nossas vidas!


Como dizem no popular, vamos "começar do começo":


1 - Você sabia que os dentes de leite começam a se formar quando o bebê ainda está no útero materno? Sim, isso é verdade! Porém, eles só começam a ficar visíveis na boca, em média, por volta dos 6 meses após o nascimento do bebê.


2 - A falta de vitamina D no organismo da gestante pode provocar má formação dos dentes do bebê, pois ela é fundamental no metabolismo do cálcio e do fósforo, substâncias importantíssimas para a mineralização dos dentes.


3 - Já viu algum bebê nascer com dentes? Pois saiba que isso é possível e existe, até mesmo, um nome específico para esses dentes: são chamados de “dentes natais”.


Dentes permanentes.


4 - Os dentes permanentes começam a surgir por volta dos 6 anos de idade.


5 - O último dente permanente a erupcionar é o famoso "dente do siso" (terceiro molar). Ele começa a aparecer na boca entre as idades de 16 e 30 anos e, por isso, também é chamado de "dente do juízo".


6 - O ser humano adulto tem, normalmente, 32 dentes, sendo 16 na arcada superior e 16 na arcada inferior.


7- O esmalte dentário é o tecido mais resistente e mineralizado do corpo humano.


Cuidados com a higienização


Você sabia que a cárie é a segunda doença mais comum no mundo? Pois é! Felizmente, existem maneiras simples para preveni-la. Vamos ver algumas delas:


8 - A escova dental é o principal aliado, junto com fio dental, na manutenção da saúde bucal e, por isso mesmo, devemos ter atenção ao escolhê-la. Vejamos: o que você acha melhor? Escova com cerdas médias/duras ou escova com cerdas macias? Muitas pessoas pensam que "cerdas mais resistentes limpam melhor". Você também pensou isso? Se sim, saiba que está errado. Escovas com cerdas duras tendem a causar traumas gengivais e desgastes excessivos do esmalte dentário. Portanto, escolha sempre escovas com cerdas macias, ok?


9 - Falando em escovas, a mais antiga escova de dentes de que se tem notícia foi encontrada em uma tumba egípcia de 3 mil anos a.C., mas não era nada parecida com as escovas atuais. Tratava-se de um ramo com a ponta desfiada até suas fibras, que era esfregada contra os dentes.


10 - Além da escova, a pasta de dentes também auxilia na higiene e na manutenção da saúde bucal. Até chegar às fórmulas atuais, as pastas de dentes tiveram muitos componentes diferentes ao logo da história, alguns deles até bizarros. Além de ingredientes como flores e ervas, já foram utilizados, até mesmo, sal, carvão, areia, pó de porcelana e cinzas de ossos! Não tente utilizar esses tipos de pós em casa para limpar seus dentes: eles são muito grosseiros e podem provocar riscos, perda de brilho, sensibilidade dentária e levar ao manchamento da superfície dentária ao longo do tempo (que fica mais rugosa); prefira os abrasivos mais finos e delicados dos cremes dentais atuais, as escovas macias e o fio dental para a limpeza!


11 - Ao contrário do que é mostrado nos comerciais na TV, em que a pasta de dentes aparece cobrindo todas as cerdas da escova, não se deve utilizar essa quantidade toda para realizar uma limpeza adequada. Basta uma quantidade próxima ao tamanho de uma ervilha.


12 - Outra arma fundamental na prevenção de cáries e doenças gengivais é o fio dental. Infelizmente, ele é deixado de lado por uma parcela considerável da população. Você faz parte desse grupo? Se sim, saiba que, ao deixar de usá-lo, você também está deixando de limpar cerca de 35% da superfície dos seus dentes!


Se você gostou dessas informações e as considera úteis, clique nos seguintes links destacados para compartilhá-las com quem você se importa pelo WhatsApp ou pelo Facebook.



Grande abraço de nossa equipe!




Este artigo tem objetivo de divulgar informações sobre tópicos gerais de odontologia e saúde oral. Seu conteúdo não substitui a orientação, o diagnóstico nem o tratamento com profissional especializado. Quaisquer dúvidas que você tenha sobre tratamentos, sinais ou sintomas de doenças devem ser sempre esclarecidas com seu dentista, médico ou outro profissional especializado.