• Yokota Odontologia

Cremes dentais, enxaguantes e chicletes clareiam os dentes?



Existem muitos anúncios de produtos que clareiam os dentes, como cremes dentais, enxaguantes e até chicletes. Será que eles estão falando a verdade?


Para que você mesmo saiba avaliar qual o potencial clareador de um produto na próxima vez em que vir um anúncio desse tipo, primeiramente, vamos entender melhor quais são as manchas mais comuns nos dentes e como elas podem ser removidas.


As manchas nos dentes são pigmentos classificados em dois tipos principais: intrínsecas, que são os pigmentos interiorizados na estrutura dos dentes, isto é, estão dentro do esmalte ou dentina; e extrínsecas, que são os pigmentos que estão apenas aderidos à superfície, mas não fazem parte da estrutura interna do dente.


Os pigmentos apenas aderidos à superfície do dente podem ter alguns exemplos citados, como os corantes dos sucos, dos vinhos tintos, café, chocolates, molhos de tomate e os decorrentes do tabagismo. Na presença desses pigmentos, a própria placa bacteriana, que é uma película muito fina formada por restos de alimentos e microorganismos, torna-se pigmentada sobre a superfície dos dentes que, então, têm sua cor alterada. Estas manchas extrínsecas são removidas mecanicamente pela escovação dental feita por você na sua rotina diária e, de uma forma ainda mais precisa, durante a limpeza profissional e polimento dentário realizados no consultório odontológico.


Já os pigmentos intrínsecos, por tomarem parte na estrutura do dente, têm um processo de remoção mais complexo, pois não basta apenas a realização de um processo mecânico superficial.


Cada dente tem sua pigmentação natural original, alguns mais claros, outros mais amarelados, acastanhados ou acinzentados, de forma que essa coloração é dada por pigmentos intrínsecos ao esmalte e dentina. Ainda, existem manchas causadas por pigmentos também intrínsecos que são ocasionadas por malformação do esmalte ou dentina (amelogênese e dentinogênese imperfeita, respectivamente); pelo consumo do antibiótico tetraciclina durante os estágios de calcificação dentária quando o dente ainda está se formando; por fluorose (consumo de níveis tóxicos de flúor durante as fases de formação do dente); por uso de cimentos contendo sais de prata para obturação de dentes no tratamento de canal; por sangue decorrente de trauma dentário, dentre inúmeros outros tipos. Uma observação muito importante é que, os pigmentos extrínsecos, se mantidos em contato por muito tempo com os dentes naturais, podem adentrar a estrutura dentária porosa e não serem mais passíveis de remoção pela escovação ou simples limpeza/polimento profissionais, necessitando dos mesmos métodos usados para os pigmentos intrínsecos.


Nos casos desses tipos de pigmentação que não estão apenas aderidos à superfície do dente, mas que fazem parte de sua estrutura, grande parte delas pode ser totalmente eliminada ou bastante suavizada pelo emprego de substâncias clareadoras utilizadas pelo profissional dentista. Existem muitas formas de o dentista aplicar o tratamento clareador, que dependem de análise de qual o tipo de mancha presente e das particularidades de cada paciente, mas o que todos os métodos têm em comum é o uso de substâncias que contêm alta concentração de peróxidos na composição, que liberam moléculas de oxigênio. O oxigênio é capaz de quebrar moléculas grandes e complexas em outras menores e mais simples e, desta forma, mudar a pigmentação dos dentes para tons mais claros.


Em casos de manchas muito complexas e escuras, especialmente as acastanhadas ou acinzentadas, ou ainda, quando a mancha é de uma cor muito mais branca que o restante dos dentes, o resultado desejado de clareamento ou uniformização da cor pode não ser atingido totalmente apenas como uso das substâncias clareadoras. Em algumas destas situações, o dentista deve combinar o clareamento com outros métodos, como microabrasão ou, ainda, utilizar próteses de porcelana (como facetas estéticas) para resolver totalmente ou minimizar a intensidade do problema.


Agora vamos voltar à questão dos cremes dentais, enxaguantes ou chicletes que prometem clarear os dentes. Muitas vezes, de fato, os fabricantes acrescentam peróxidos à sua composição, o mesmo peróxido presente nos produtos utilizados pelos dentistas. No entanto, a quantidade de peróxido exigida no produto para promover algum efeito clareador perceptível sobre pigmentos intrínsecos deve ser alta de modo tal que, ao entrar em contato com a gengiva e outros tecidos moles, essa substância provoca queimaduras químicas. Ainda, para aumentar o prazo de validade dos produtos com as altas concentrações de peróxido, as substâncias utilizadas pelos dentistas contêm ácido em sua composição, o que, se utilizado por muito tempo e/ou sem supervisão profissional, pode levar à perda de minerais do dente e aumentar muito a sensibilidade dentária. Por estes motivos, seu uso deve ser controlado pelo profissional dentista e, não à toa, os produtos utilizados pelos profissionais somente podem ser vendidos para os próprios, sendo proibida pela Anvisa, no Brasil, a venda diretamente ao público geral, para manter em segurança a saúde das pessoas. Visto isso, é possível entender que os fabricantes de produtos vendidos diretamente ao público, como enxaguantes e cremes dentais, limitam muito a quantidade de peróxido a concentrações mais baixas, insuficientes para promover efeitos perceptíveis sobre pigmentos intrínsecos. Também é possível saber que, embora a água oxigenada comum vendida em farmácias possa ser utilizada para desinfecções, ela não tem efeito clareador perceptível sobre pigmentos intrínsecos dos dentes.


Ok, agora você já sabe que, para alterar a cor natural de seus dentes ou remover outros tipos de manchas intrínsecas que já existem, não adianta usar clicletes, cremes dentais ou enxaguantes. Mas será que esses produtos cujos comerciantes prometem efeito clareador não ajudam em nadinha mesmo?


Sim, ajudam, mas não da forma como você pensava. Chicletes, por exemplo, estimulam a salivação e, por isto, auxiliam no processo de remoção de pigmentos extrínsecos da superfície do dente pela própria saliva (e essa ajuda é promovida por qualquer chiclete!). Quaisquer enxaguantes e cremes dentais que sejam utilizados para prevenir a formação de placa bacteriana ou removê-la também auxiliam a manter os dentes claros e a prolongar o resultado do clareamento realizado no consultório dentário, porque agem removendo os pigmentos que ficam aderidos à superfície dos dentes também. No caso de cremes dentais clareadores, eles costumam ter maior quantidade de abrasivos que os cremes comuns, justamente para aumentar a capacidade de remoção desses pigmentos extrínsecos. Os produtos que prometem efeito clareador também podem ter, em sua composição, pigmentos brancos, que os fabricantes dizem se depositar na superfície dentária e promover aspecto mais claro. Portanto, os produtos que prometem efeito clareador que são vendidos diretamente ao público têm ação principal de prevenir escurecimento e a manter por mais tempo os resultados do clareamento realizado pelo dentista.


Com os fundamentos do clareamento dentário na cabeça, você também pode, por si mesmo, avaliar a eficiência e também o risco de dicas caseiras famosas para branqueamento dental e alertar seus amigos: carvão ativado, bicarbonato de sódio e tantas outras formas de aplicar abrasivos caseiros grosseiros para esfregar nos dentes agem apenas sobre pigmentos extrínsecos, mas o tamanho dos grãos abrasivos é grande o suficiente para riscar os dentes e provocar retração gengival e muita sensibilidade dentária. Misturar limão aos abrasivos, ainda, é equivalente a colocar um ácido no dente, que potencializa muito a remoção de cálcio dele durante a abrasão, o que aumenta mais ainda o prejuízo à superfície dentária e eleva a sensibilidade dentária. Também, todos esses métodos de aplicação de abrasivos grosseiros com ou sem ácidos são capazes de provocar riscos relativamente grandes na superfície dentária que reduz o seu brilho, acumula mais placa bacteriana e, portanto, mais pigmentos extrínsecos ao longo do tempo, fazendo um efeito contrário ao objetivo de deixar os dentes mais bonitos. Lembre-se sempre de que manchas extrínsecas podem ser muito bem removidas com uma boa escovação dentária que utilize técnica correta e creme dental com abrasivos bem finos conforme as orientações passadas pelo profissional, e também com a limpeza e polimento profissionais feitos em consultas preventivas periódicas, de forma que este conjunto de ações é a chave para manter seus dentes mais claros por mais tempo.


Se você gostou dessas informações e as considera úteis, clique nos seguintes links destacados para compartilhá-las com quem você se importa pelo WhatsApp ou pelo Facebook.


Grande abraço de nossa EQUIPE!



Este artigo tem objetivo de divulgar informações sobre tópicos gerais de odontologia e saúde oral. Seu conteúdo não substitui a orientação, o diagnóstico nem o tratamento com profissional especializado. Quaisquer dúvidas que você tenha sobre tratamentos, sinais ou sintomas de doenças devem ser sempre esclarecidas com seu dentista, médico ou outro profissional especializado.

Posts recentes

Ver tudo